sexta-feira, 27 de abril de 2007

Minutador



hoje é uma daquelas noites
em que os olhos teimam
em não fechar

e


travam guerra aberta

com o corpo

há apenas uma escolha dizimada
de palavras que preenchem
as nossas noites

digo nossas com o
firme punho a socar

v
e
r
t
i
c
a
l
m
e
n
t
e

a mesa de vidro

é com toda a violência que me ocupas
todas as linhas e todos os gestos



Maria Rocha, 2007

6 comentários:

adriano disse...

gosto muito de tudo aqui. tudo, mesmo. : )
abraço.*

M.R. disse...

Oh, e eu gosto de ti.
Outro. *

John Rafel! disse...

Era uma vez a Maria. A Maria era uma criança com tendência para o vampirismo. A Maria não dormia de noite, em vez disso, ficava as noites a comer bolachas Maria besuntadas com doce de morango. A Maria sabia o que queria. Às vezes a Maria comia mais do que devia. Quando isso acontecia ela tinha tendências a esmurrar mesas de vidro. A sua técnica primava pela verticalidade. Golpe torturoso e eficaz!

A Maria tinha uma estranha repulsa pelo Manuel Luís Gouxa. Tanto que um dia, foi à praça da alegria (depois de ter vindo da trafaria), chegou-se ao pé do caro com tal folia que por pouco Manuel Luís morria. Depois disto foi o raiar do dia. Maria viu as cores vivas da manhã acompanhada com sons de pássaros e outros animais identificáveis devido à sua timidez.

Depois disto, nada mais.
(Não sei Maria..o sono faz me isto =|)

M.R. disse...

LOL! Oh João, venha o Diabo e escolha qual de nós o pior. Ahahah... Até já me passaram as dores nos joelhos.

(Obrigada por leres.)
*

Bruno Caravlho disse...

Olá! Vejo que mudaste de cantinho, mas as palavras continuam belas e certeiras, também eu tenho um novo espaço, passa por lá, http://brunocarvalho.blogs.sapo.pt.
beijinhos

Joanne disse...

"é com toda a violência que me ocupas"
Adorei a frase...chamo a essas, as noites brancas.

Mais um bom momento perdido aqui.