segunda-feira, 9 de julho de 2007

Todas as palavras



lembra-te de todas frases interrompidas que colidiam no mesmo
silêncio desmesurado da cumplicidade dos criminosos

se pudesse estafar-me-ia de sono só para me ocupar de mim

e

arrumava desordenadamente todas as palavras em frascos
para que quando quisesse viajar no tempo o fizesse
sendo mais e maior que o cronológico e invisível relógio

preciso de visitar algumas palavras várias vezes

trazem escondidas segredos dentro de segredos
que são espirais intermináveis como o conhecer alguém

desperdiçaria toda a eternidade a incitar múltiplos
acasos e, se preciso, acidentes mortais

de forma a regressarmos sempre a esta idade inumerável
da qual só se sabe o som soturno das sombras

lembra-te, sobretudo, de todas as palavras que nunca
te vou escrever



Maria Rocha, 2007

7 comentários:

Maharet disse...

vou usar a tua caixa de comentários como correio, e dizer que ainda n sei se estou liecnciada... estou à espera das notas.. mas espero que tenha corrido tudo bem e que esteja no fim..

E tu? :)

delusions disse...

"lembra-te, sobretudo, de todas as palavras que nunca
te vou escrever"

lindo! para não variar... quando for grande quero escrever assim ;)

bjinho* boa semana... "todas as palavras "

Tigui disse...

As palavras às vezes não conseguem ser utilizadas quando queremos e por vezes nunca as usamos com quem queremos.

Gostei muito do teu texto. Parabéns.

Joanne disse...

é fantastico o prazer que me dás ao ler-te sempre que por aqui passo.
beijo.

M.R. disse...

delusions:

: )

Hum... tu já és crescida e escreves tão bem ou melhor que eu.
Não desperdices assim os desejos, ahah.

Obrigada e o mesmo para ti.

---

tigui:

Acho que tu chegaste aqui através do dA, não foi?

E sim, tens razão.

Obrigada.

---

joanne:

: )

Acho que é recíproco. Não tenho é podido comentar as tuas coisas como queria e, às vezes, não consigo também... É bom sinal isso.

*

Miguel disse...

a verdade é que já não somos os mesmos, e as nossas vidas mudaram talvez demais, não sei.

mas venho ler-te aqui muitas vezes, uma espécie de conforto, e és cada vez melhor.

parabéns Maria, e espero nunca te perder de vista

um beijo

Anónimo disse...

venha participar em www.luso-poemas.net

vai adorar e pode por o seu livro à venda bem como ajudar na sua divulgação:)

grande abraço