terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Consulta de Cirurgia



a cura para a minha insanidade
é a ignorância que recuso aceitar;
são as pedras que piso e volto a pisar
como o ar que insisto em julgar,
qual veneno oferecido, embrulhado
e guardado no cofre do passado

será possível auto-administrar-me
o racionamento de ar e de passos
que devo consumir para que me
não perca entre o limite máximo
de mim – do que fui, do que sou –

serei eu capaz de me converter
em qualquer uma das partes?
ou ficarei eternamente
esquinado nas mesmas ruas
onde já falo com as mesmas
pedras que piso e que volto a pisar?

a cura para a insanidade
afasta-se cada vez mais
de cada vez que me abro
e deixo que me esquartejem
os órgãos

investigam-me
de fora para dentro
e dentro para fora
com ferramentas
e objectos cirúrgicos

stop.

na verdade, alucino.

agora mesmo
vagueio por

entre

as curvas
das palavras
rectilíneas

dos médicos que me dizem
que tenho seis meses de vida

e

ao invés
de dar graças pelo tempo
que foi me concedido
rio para dentro
e penso no número três
e como seria profético
restarem-me três
meses para me curar
ou mergulhar-me
na doce ignorância

de quem não sabe
onde e como nascemos e como e onde
(nos) terminamos

não falo. não falho.
não falarei. não falharei.

tatuei-me com um ferro
em fogo para que depois
de me render à última morada dos loucos
jamais me esqueça de onde vim

da casa dos doentes


Sérgio Ribeiro
e Maria Rocha, 2006


5 comentários:

Di* disse...

Eu conheço esta imagem...

Parabéns aos dois.
Gostei imenso.

Até *

M.R. disse...

Pois conheces. ; )

"This is necessary.Life feeds on life feeds on life feeds on life..."

Fico contente de te saber aqui neste novo canto.

Um até breve mesmo breve - espero.

*

Di* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Di* disse...

Lá esperar esperamos nós :P

Onde estiveres eu estarei também, numa sombra escondida do teu palco. Dá-me imenso gozo ver-te brilhar...

Inspiras-me a voltar a escrever...Estou quase, quase, por assim dizer.

Abraço, Forte *

P.S- Adorei o teu humilde e-mail de Natal ;)

M.R. disse...

Fico à espera de te poder ler de novo, minha Amiga.

E havemos de nos ver muito em breve.

*